quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Prece do cão abandonado

Sabe "Senhor",
 só agora entendi porque meu dono 
me trouxe á praça aquele dia.

Não foi para passear, como pensei; ele não tinha esse hábito, mais mesmo assim fiquei contente. Logo que chegamos, ele me deu as costas e, apressado, entrou no carro, sem ao menos me dizer adeus.


Olhei para os lados, sem saber o que fazer, 
tentei segui-lo e quase fui atropelado.


O que eu fiz de tão mal? Á noite que ele chegava, eu abanava o rabo, feliz, mesmo que ele nem viesse ao quintal me ver. Ás vezes, eu latia, mas é porque havia estranhos no portão e eu não podia deixá-los entrar, sem a permissão do meu dono. Quem sabe foi minha dona que mandou, talvez eu desse trabalho. Mas as crianças, elas me amavam.

Como sinto saudades!
 Puxavam-me a cauda e eu virava uma fera, 
mas logo passava. 
Talvez eles nem saibam.
Devem ter dito que fugi.



Estou faminto, só bebo água suja e todos me desprezam. Estou magro, feio e doente. Sabe, "Senhor", neste cantinho que arrumei para passar a noite, sinto muito frio, o chão está úmido e quase não tenho pelos. Creio que vou me encontrar contigo ai no céu, meu sofrimento vai terminar e mesmo no espírito, sei que vou ter a tua permissão para rever as crianças.
Peço-te então, não mais por mim, mas pelos meus irmãos abandonados. Ajuda-os a encontrar um lar onde possam viver com um pouco de dignidade. Ameniza-lhes o frio e a fome. Divide entre eles o amor que me foi tirado. Mata-lhes a sede com a tua bondade.
Elimina os sofrimentos ocasionados pela ignorância e a insensibilidade do coração do homem. Tira o medo e a dor dos que forem sacrificados em nome de estratégias sanitárias, posturas políticas, científicas, esportivas e outras. Ampara as fêmeas prenhas abandonadas, que verão suas crias morrerem ou serem mortas, sem nada poderem fazer. Abranda, "Senhor", a tristeza e a solidão dos que como eu foram traídos, pois entre todos males, foi esse o que mais doeu.


Recebe, ó "Pai", 
 nesta noite gelada, a minha alma, 
pois não será mais meu sofrimento,
 mas dos que ficarem; por eles é que te peço. 
"Obrigado, Meu Deus, 
pelos momentos de felicidade que eu tive!"

 (Autor Desconhecido)



 

Nenhum comentário:

Postar um comentário